Pular para o conteúdo principal

A SANTIFICAÇÃO DO DIA DO SENHOR

Introdução:

Para muitos cristãos nossos contemporâneos, a santificação do Dia do Senhor não faz mais sentido, por isso as famílias dos crentes estão tratando o dia em que devemos santificar para a adoração do Senhor e o nosso próprio bem-estar, com desdém e irreverência.

Deus em sua Palavra santifica o Dia do Senhor. Um dia separado para o descanso do cristão, na antiga aliança, chamado de “sábado” [descanso], não se referindo a um dia específico, mas ao período de descanso que o crente tem de observar. Na Nova Aliança do NT, é chamado de domingo, pois foi o dia em que o Senhor ressurgiu dos mortos, depois de ter consumado a obra da salvação.

Razões para guardarmos o dia do Senhor

Deus nos manda consagrar uma sétima parte do nosso tempo. Essa ordem está expressa no quarto mandamento, com as seguintes palavras: “lembra-te do Dia do Descanso [shabbat] para o santificar, seis dias trabalharás e farás neles toda a tua obra. O sétimo, porém, é o descanso [shabbat] do Senhor teu Deus. Não farás nenhum trabalho nem tu, nem teu filho, nem tua filha.....” (Ex. 20. 8-11).

Esse mandamento tem um caráter duplo:

1) Deves trabalhar seis dias e fazer neles toda o teu trabalho;
2) Lembra-te de santificar esse dia.

Trabalho e descanso, isso é o que exige de nós o quarto mandamento da lei divina.

Para muitos o trabalho é fruto do pecado. Já ouvi muitas pessoas dizerem que “gostariam de encontrar o inventor do trabalho para ajustar as contas com ele”. Trabalho não é pecado. Deus disse a Adão logo depois da Queda: “do suor do teu rosto comerás o pão”. Antes porém, Adão, mesmo em estado de inocência tinha a tarefa de cultivar o Jardim do Éden. A consequência da Queda, portanto, não foi o trabalho, mas a fadiga que dali em diante se originou como consequência do pecado.

Todo trabalho honesto e digno é abençoado por Deus e por esta razão todo crente deve trabalhar alegremente. Jesus Cristo honrou o trabalho durante o seu ministério terreno, ele ajudava a José na marcenaria. Paulo trabalhava para o seu sustento como fazedor de tendas.

Cícero, celebre orador romano julgava o trabalho como algo degradante, mas ele estava errado pois o trabalho é honrado e nobre. O trabalho honesto faz o homem prosperar, esse é o espírito do cristianismo. Os reformadores do sec. XVI honraram o trabalho como modo de produção e enriquecimento. O que a Escritura Sagrada proíbe é o trabalho desonesto e desonroso. O que a Bíblia proíbe é o crente deixa r de cumprir com os seus deveres para com Deus pela ambição do lucro através do trabalho, porém, ensina que o crente deve ser prevenido e que deve poupar um pouco da sua renda, para o dia da calamidade, tanto para nós mesmos como para auxiliar ao nosso próximo.

Vamos trabalhar enquanto podemos, vamos prover para o futuro, isso é ensinado na Escritura Sagrada. Para isso a Bíblia tem uma exortação muito bela: “Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir o necessitado”. (Ef. 4.28).

A observância do Dia do Senhor depende do uso que fazemos dos seis dias que Deus nos concede para a consecução dos bens materiais. Por esta razão, Deus, no decálogo, une a santificação da observância do dia do descanso ao preceito do trabalho: “Lembra-te do dia do descanso para o santificar seis dias trabalharás e farás neles toda a tua obra”.

Se você quer um Dia do Senhor mais cheio de bênçãos, descanse conforme o mandamento de Deus..... Deixe de fazer no Dia do Senhor tantas coisas que você julga necessárias, mas que são dispensáveis.

Trabalhe nos outros dias de modo que no Dia do Senhor você tenha todos os confortos que a sua condição lhe permite, sem que para isso você viole os mandamentos do Eterno.


Não se admirem ao ver nos nossos dias, muitas famílias crentes que não santificam mais o Dia do Senhor e que estão sofrendo terríveis amarguras de relacionamentos entre pais e filhos, filhos e pais e cônjuges se desgastando em conflitos. Trabalhe para ter um descanso verdadeiramente sagrado, que satisfaça aos fins para o qual foi instituído o Dia do Senhor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…