Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2013

O CATOLICISMO E SUAS ORIGENS – (PARTE 5)

A INFALIBILIDADE PAPAL E IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA
O mais novo papa, comandante da Igreja Católica romana, bispo de Roma, Itália, Argentino que escolheu ser chamado de Francisco, virá em sua primeira viagem internacional fora da Itália, chegará ao Brasil para a JMJ (Jornada Mundial da Juventude).
Atualmente ouvimos nas reportagens da TV e do rádio a colocação correta de que o papa é o chefe da Igreja católica romana e não mais chefe da igreja cristã como os papas eram identificados, como se eles fossem os representantes únicos do cristianismo.
A igreja romana ao longo da história gloriava-se, dizendo ser a única igreja cristã e os papas ambicionavam a infalibilidade, dogma decretado por um dos papas. O papa Gregório I foi um papa que se pronunciou contra a ideia de um “sacerdócio universal nas mãos de um único homem”. O papa Estevão VI (tido como 113º papa) no ano de 896 d.C., desenterrou o corpo do papa Formoso, cortou-lhe a cabeça e a jogou no Rio Tibre, em Roma.
O papa falecido foi …

O CATOLICISMO ROMANO E SUAS ORIGENS (PARTE 4)

A CONFISSÃO AURICULAR E AS FARSAS ROMANISTAS
Os fiéis católicos aprendem que devem confessar seus pecados mortais pelo menos uma vez por ano a um sacerdote humano, pois isso é essencial para a obtenção do perdão de Deus. Examinamos a doutrina da Confissão Auricular à luz dos escritos do catolicismo romano e da Bíblia Sagrada. O Catolicismo ensina que existem dois tipos de pecado: mortal e venial. "Escolher deliberadamente, isto é, sabendo e querendo, uma coisa gravemente contrária à lei divina e ao fim último do homem é cometer pecado mortal. Este destrói em nós a caridade, sem a qual é impossível a bem-aventurança eterna. Caso não haja arrependimento, o pecado mortal acarreta a morte eterna. O pecado venial constituiu uma desordem moral reparável pela caridade, que ele deixa subsistir em nós. A repetição dos pecados, mesmo veniais, produz os vícios, entre os quais avultam os pecados capitais.[1]
Continuando a argumentação o catecismo diz:
"Para que um pecado seja mortal requerem…

O CATOLICISMO E SUAS ORIGENS (Parte 3)

OS RECURSOS DO VATICANO E O PURGATÓRIO


O maior doador de recursos ao Vaticano é a igreja católica americana. Mas houve um tempo em que a Igreja católica romana estava de cofres vazios e apelou para estratégias não muito “santas” para encher os seus cofres. A mais famosa dessas estratégias foi a cobrança de indulgências (Venda de títulos de propriedades do céu), quem os adquiria, pagando uma quantia volumosa, tinha os seus pecados passados, presentes e futuros imediatamente perdoados. As indulgências foram cobradas em toda a Europa por João Tetzel, que para convencer o povo dizia: “ainda que tenhas violado Maria a mãe de Deus, descerás para casa perdoado e certo do paraíso”.
Também em outros momentos de sua história, a igreja católica romana usando de blefes canalizava vultosas somas de dinheiro para os seus cofres, negociando cargos eclesiásticos e venda de títulos de Cardeal, que valiam grandes fortunas.
O papa Leão X (1518), o papa do tempo de Lutero e das 95 teses, usou de um exped…

O CATOLICISMO E SUAS ORIGENS (PARTE 2)

O CATOLICISMO E SUAS ORIGENS (PARTE 2)
Introdução: Depois que o cristianismo se corrompeu com o papado, os papas começaram a aparecer como reis, ostentando ornamentos e situações que lhes fizessem parecer como soberanos.
O primeiro papa a usar a corôa foi Nicolau I (858 d.C. – 867 d.C.). Ele se serviu de documentos espúrios que apareceram em 857 d.C. conhecidos como “PSEUDAS DECRETAIS” de Isidoro. Essas falsas decretais, alegavam que era de bispos do II e III séculos que “exaltavam o poder dos papas”. Depois da morte de Nicolau I descobriram que esses documentos eram invenções corruptas dele, Nicolau mentiu dizendo que esses documentos estavam na igreja já havia séculos.
As PSEUDAS DECRETAIS colocaram a “cereja no bolo”  das mentiras papais na Idade Média, elas conseguiram fazer com que o papado, recentemente criado, se tornasse antigo. Foi o maior embuste da história. Esses falsos documentos vieram a fortalecer o papado, antecipando em 5 séculos o poder temporal dos papas e serviu de…

O CATOLICISMO E SUAS ORIGENS (Parte I)

O CATOLICISMO E SUAS ORIGENS (Parte I)
A origem do papado.
Como conhecemos hoje, o papado teve a sua origem, desenvolvendo-se gradativamente, sustentado a princípio pelo Império Romano. Não teve uma data de nascimento, não foi instituído por Cristo nem pelas igrejas. É um intruso no cristianismo e não se enquadra na Bíblia. (DEV).
O catolicismo romano assim como as igrejas evangélicas são estruturadas da seguinte forma: A igreja romana, sua estrutura é a de ordens religiosas, sob a direção de um chefe visível, é uma monarquia absoluta. As demais igrejas cristãs são estruturadas em forma de denominações, todas com uma só base doutrinária, a Bíblia.
Pontos em comum
Tanto católicos quanto evangélicos creem na Trindade, em Cristo como Salvador pela sua morte substitutiva, ensinam a existência do céu e do inferno e o seu livro texto é a Bíblia. Em que pese as crenças em comum, as duas igrejas cristãs caminham separadas.
Até o IV século da era cristã havia uma e somente uma igreja cristã. A …