Pular para o conteúdo principal

IGREJA PRESBITERIANA DO MARANHÃO

131 ANOS DE EVANGELIZAÇÃO Por Rev. Raimundo João Mendes d’Eça Pastor Presbiteriano. A Igreja Presbiteriana do Maranhão está fazendo 131 anos de presença evangélica no Estado e 120 anos de história de evangelização a partir de São Luís. Foi a primeira Igreja evangélica a se estabelecer em terras maranhenses em uma época em que o catolicismo romano ainda dominava a vida religiosa, política e social da sociedade brasileira daqueles idos, tanto que não era permitido construir templos religiosos de outras denominações em estilo arquitetônico como os templos da Igreja Romana, por isso os crentes presbiterianos que aqui chegaram e os que foram se convertendo, adoravam em templos adaptados de antigos galpões de velhos armazéns, conforme as Leis do Império e ainda por cima não podiam usar o símbolo da cruz e nem podiam ser enterrados no cemitério da cidade (consta que os enterros dos evangélicos eram feitos onde hoje é o hospital “Socorrão 1” e do outro lado da rua bem em frente). Em 03 de julho de 1875 chegou a São Luís o missionário Norte-Americano John Smith, a bordo do navio Guará que aportou na Praia Grande, vindo de Fortaleza-CE, já tendo passado antes por Recife. São Luís era na época, uma cidade de pouco mais de 30 mil habitantes, e falava-se que era mais populosa do que São Paulo. A intolerância religiosa ao protestantismo era muito grande, fazendo com que a igreja não se estabelecesse nesses primeiros anos, o que veio acontecer somente 11 anos depois. O médico-missionário, Dr, George W. Butller chegou a São Luís, vindo de Pernambuco a 13 de Maio de 1885, começando a trabalhar como médico, porém a sua verdadeira intenção era pregar o evangelho aos maranhenses de São Luís. Inicialmente ele alugou um sobrado na Praça Benedito Leite em frente à Igreja da Sé onde fez as suas primeiras pregações. Na cidade o Rev. Dr. Butler teve bons cooperadores na pessoa do Sr. Henry Airlie, cônsul inglês, e do Sr. Jerônimo Tavares, cônsul português. O Dr. Paulo Duarte, primeiro governador do Estado, proclamada que foi a República; tinha a sua esposa como membro professo da novel igreja e também o mecânico escocês, o Sr. Thomas MacDonald. Estas quatro famílias constituíram o pedestal do presbiterianismo no Maranhão. A Igreja de São Luís foi organizada em 06 de Junho de 1886, e no mesmo ano, construído e inaugurado o templo na Praça da Alegria. Depois ele levou o evangelho ao vizinho Estado do Piauí, quando em 1887 realizou pregações em Teresina e também em Caxias. Os maranhenses da época pareciam diferentes do comum dos brasileiros. Basta dizer que muitas das famílias já tinham estado, por algum tempo na Europa. Geralmente mandavam os filhos estudarem lá. De modo que, a um estranho, não é difícil crer que esse Estado foi colonizado por uma classe superior de pessoas, superior às que viviam em outras partes do Brasil. Superior na Educação, nos recursos literários e nas habilidades intelectuais, por estas e outras é que São Luís era conhecida como a “Atenas Brasileira”. Usar São Luís como uma nova fronteira evangelística, era de substancial importância e por isso o Casal George W. Butler e sua esposa Rena Humphrey Butler, mudaram-se para cá. A primeira reunião em São Luís foi realizada na manhã de Sábado, 31 de Maio, em um sobrado na Rua Grande, 69, fazendo esquina com o Beco dos Craveiros. O primeiro hino cantado foi “Eu preciso de ti em todo o tempo” e a prédica versou sobre o arrependimento. Havia cerca de 50 pessoas no auditório. À noite compareceram cem pessoas e o sermão versou sobre fé. Os Pioneiros: Rev. John Rockwel Smith, 1875. Rev. George William Butler, 1886, Rev. Belmiro César (Primeiro pastor Nacional). Rev. Benedito Aguiar, 1931. Rev. Orlando Lopes de Morais, 1964. Rev. José Faustino dos Santos, 1975. Organização Administrativa O Sínodo: Sínodo do Maranhão (SMA). Os Presbitérios: Presbitério do Maranhão. (PMAR). Presbitério de São Luís. (PSLS). Presbitério Leste do Maranhão (PLMA). Presbitério Centro-Oeste do Maranhão (PCMA). Perspectivas: A Igreja Presbiteriana é uma Igreja de Confissão Reformada, que adota os princípios da Reforma do Século XVI, que tem como regra de fé e prática as Escrituras Sagradas do Antigo e do Novo Testamento e como símbolos de fé a Confissão de fé de Westminster e os Catecismos Maior e Breve de Westminster. É uma federação de Igrejas espalhadas por todo o território brasileiro com milhares de igrejas e de pastores. A Igreja tem como objetivo alcançar todos os municípios do Estado do Maranhão com a Palavra de Deus e os princípios Reformados. Que Deus em sua Graça continue abençoando esta que é a mais antiga Igreja do Maranhão e que vem contribuindo nas áreas de Educação, Política, Economia e Assistência Social, para ver o Maranhão rendido aos pés do Mestre Jesus Cristo, Senhor da Igreja. Soli Deo Glória.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…