Pular para o conteúdo principal

EM QUE DIA JESUS CRISTO MORREU ? EM QUE DIA ELE RESSUSCITOU? - PARTE 1







Por

Rev. João d'Eça

Nesta Páscoa irei publicar um artigo êm três partes. Primeiro farei uma parte introdutória acerca do assunto que encima esse texto, ou seja, Em que dia Cristo morreu? E em que Dia ele ressuscitou?

Apesar de muitos acharem o assunto irrelevante, pois o que importa é que Jesus morreu no lugar dos pecadores, na verdade não é, pois trata de assunto de suma importância, ou seja, o cumprimento das profecias e a veracidade do relato bíblico.

Se Jesus Cristo afirmou que passaria três dias e três noites no seio da terra, assim como Jonas passou três dias e três noites no ventre do grande peixe, dando resposta àqueles que lhe indagavam e exigiam dele um sinal que autenticasse o seu ministério.

EM QUE DIA JESUS CRISTO MORREU, QUARTA OU SEXTA-FEIRA?
EM QUE DIA ELE RESSUSCITOU?

"PROLEGÔMENOS”

A Bíblia nos ensina que o caminho da salvação é somente por meio de Jesus Cristo. Esta verdade é central nas Escrituras.
O plano da salvação está escrito na Bíblia, pela Revelação divina. Utiliza-se vários métodos para fazê-lo compreensível e comunicá-lo a nós, tais como: Histórias, Incidentes, Eventos, Parábolas, Exemplos, Ilustrações, Alegorias, Símbolos e por ensinamento direto. Estes métodos estão assim colocados para revelar claramente a vontade de Deus para o homem.

O SINAL DE JONAS.

Um relato interessante do Antigo Testamento, ligado ao tema da salvação, é o episódio de Jonas e o grande peixe. A lição aqui é clara: é uma ilustração ou tipo de Cristo, na experiência de obedecer e permanecer muito tempo dentro do grande peixe.

Há aqui uma relação entre a obra e a vida de Cristo e a experiência de Jonas, que foi jogado ao mar, para ser engolido por "um grande peixe".
Jesus Cristo usou essa história como ilustração em sua pregação, para explicar o plano da salvação aos seus ouvintes e questionadores, os quais haviam duvidado de sua verdadeira identidade, embora terem visto Ele fazer milagres. Não lhes seria dado outro sinal além do de Jonas, para provar sua afirmação de ser o Messias prometido.

"...Então, alguns escribas e fariseus replicaram: Mestre, queremos ver de tua parte algum sinal. Ele, porem, respondeu: Uma geração má e adúltera pede um sinal; mas nenhum sinal lhe será dado, senão o do profeta Jonas. Porque assim como esteve Jonas três noites no ventre do grande peixe, assim o Filho do homem estará três dias e três noites no coração da terra." (Mat. 12:38-40) – (Tradução ERA).

Vemos assim o plano da salvação contido nesta história. Se o Cristo não permanecesse no túmulo o tempo exato (três dias e três noites) conforme este texto de Mateus, a história não seria verdadeira, portanto, o tempo exato, especificado nas Escrituras, com respeito à Crucificação e Ressurreição de Jesus Cristo é de suma importância.

Para Jesus Cristo, a história de Jonas e o Grande peixe, é uma história real, assim como tudo aquilo que ele mencionou em seus ensinos e mensagens. É importante perceber também, que o relato de Mateus a que Jesus se referiu, ensina, que depois de Sua morte, Jesus estaria no túmulo por três dias e três noites, ou seja, exatamente 72 horas. O mesmo tempo que Jonas ficou dentro do grande peixe.

O ENSINO ERRADO E O INCONSCIENTE COLETIVO.

Toda a cristandade parece aceitar o ensino do catolicismo romano de que Jesus Cristo morreu na sexta e ressuscitou no domingo, portanto a conta de três dias e três noites não bate. Se Jesus foi crucificado na "sexta-feira santa", sepultado antes do pôr-do-sol deste mesmo dia, e ressuscitou na manhã de domingo, Ele não teria estado no túmulo os três dias e três noites.

Jesus Cristo, especificou claramente conforme o texto em Mateus 12:39, 40 que o único sinal que lhes seria dado para demonstrar que Ele era o Messias prometido, seriam os três dias e três noites sepultado no coração da terra, ou seja, o mesmo tempo que Jonas esteve dentro do grande peixe.

CONTRADIÇÃO?

Se examinarmos cuidadosamente os relatos do NT, o estudo nos revelará que não há contradição. Mas sim harmonia entre os relatos. Um estudo deste assunto revelará que Deus é exato na Sua Revelação.

O QUE DIZ O TEXTO DE JONAS?

"Deparou o SENHOR um grande peixe, para que tragasse a Jonas; e esteve Jonas três dias e três noites no ventre do peixe..." (Jonas 1:17).

Aqui a Revelação de Deus, diz que Jonas esteve verdadeiramente dentro do peixe, três dias completos e três noites completas, isto é, 72 horas, assim como o tempo em que Jesus esteve no túmulo foram exatamente três dias e três noites.

Precisamos determinar o dia e a hora em que Jesus foi posto no túmulo. Ele foi colocado ali no mesmo dia que foi crucificado; precisamente na tarde deste dia, próximo ao pôr-do-sol, mas que dia era este? Segundo a tradição Católico-romana, esse dia era a Sexta-Feira, será?

Para esclarecer, vamos ler o relato do Seu sepultamento como está registrado em Marcos 15:42-43:

"Ao cair da tarde, por ser o dia da preparação, isto é, a véspera do sábado, vindo José de Arimatéia, ilustre membro do Sinédrio, que também esperava o Reino de Deus, dirigiu-se resolutamente a Pilatos e pediu o corpo de Jesus."

Lemos também em Lc 23:52-54:

"tendo procurado a Pilatos, pediu-lhe o corpo de Jesus, e, tirando-o do madeiro, envolveu-o num lençol de linho, e o depositou num túmulo aberto na rocha, onde ainda ninguém havia sido sepultado. Era o dia da preparação e começava o sábado."

Precisamos responder duas questões principais aqui: Que dia da semana era este chamado sábado? Que dia era este chamado de "a preparação"?

De acordo com Êxodo 20:8-11 o relato do quarto mandamento, o sétimo dia da semana, é o Sábado, o qual é conhecido até hoje como Sábado. Portanto, se o Sábado mencionado em Lucas 23:54 era o sétimo dia da semana (de acordo com o quarto mandamento) concluimos que a sexta-feira (o dia anterior ao sábado) fosse o dia da preparação, mencionando neste mesmo versículo. Desse modo, por este raciocínio, parece que Jesus Cristo foi crucificado e sepultado na sexta-feira, precisamente antes do pôr-do-sol.

Este raciocínio é amplamente aceito, e aparentemente, tem fundamento bíblico. Se esta conclusão é correta, Jesus Cristo não cumpriu a profecia relacionada a Si mesmo. Porque, se ressuscitou no domingo de manhã, como geralmente se crê, Ele esteve no túmulo somente duas noites e um dia: sexta-feira de noite (uma noite), o dia de sábado (um dia), e a noite depois do pôr-do-sol do sábado (duas noites).

Mesmo se nós contarmos alguma parte do dia de domingo como outro dia completo, no qual Jesus poderia ter estado no túmulo antes de ressuscitar, teria que ser rejeitada, porque o anjo disse às mulheres que foram ao túmulo antes da saída do sol, que Ele já havia ressuscitado e já havia saído. João diz no seu evangelho que a visita foi feita "...Quando ainda estava escuro." (João 20:1). Será que há alguma contradição no relato bíblico com o tempo em que Jesus passou no túmulo?

ENCONTRANDO A VERDADE NO TEXTO BÍBLICO.

Quando Jesus Cristo foi colocado no túmulo?

Para obtermos as respostas claras, precisaremos investigar acuradamente o texto que relata sua crucificação, morte e ressurreição, nos evangelhos.

A ressurreição de Jesus levantando-se dos mortos foi um acontecimento espetacular. Os evangelhos dão testemunho do fato da ressurreição, mas, nenhum deles menciona o minuto exato em que houve este acontecimento.

CONTINUA NO PRÓXIMO ARTIGO...

Comentários

Perfil disse…
Ricardo Santos:


Eu estava procurando um bom artigo sobre esse tema, e achei!
Muito bom o texto reverendo João!

Postagens mais visitadas deste blog

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…