Pular para o conteúdo principal

EM QUE DIA JESUS CRISTO MORREU ? EM QUE DIA ELE RESSUSCITOU? - PARTE 2



Por

Rev. João d'Eça

CONTINUAÇÃO DO ARTIGO ANTERIOR.

Para sanarmos as dúvidas, vamos ver o que cada escritor do evangelho nos dizem sobre a ressurreição:

EVANGELHO DE MARCOS:
"E, muito cedo, no primeiro dia da semana, ao despontar do sol, foram ao túmulo. Diziam umas às outras: Quem nos removerá a pedra da entrada do túmulo? E, olhando, viram que a pedra já estava removida; pois era muito grande. Entrando no túmulo, viram um jovem assentado ao lado direito, vestido de branco, e ficaram surpreendidas e atemorizadas. Ele, porém lhes disse: Não vos atemorizeis; buscais a Jesus, o Nazareno, que foi crucificado; ele ressuscitou, não está mais aqui; vede o lugar onde o tinham posto. (Mar. 16:2-6).

Veja bem que o evangelista Marcos não informa do tempo em que Jesus saiu do túmulo. Ele apenas diz que algumas mulheres fizeram uma visita ao túmulo "ao despontar do sol", para verem que Jesus não estava lá.

EVANGELHO DE LUCAS:
"Mas, no primeiro dia da semana, alta madrugada, foram elas ao túmulo, levando os aromas que haviam preparado. E encontraram a pedra removida do sepulcro; mas, ao entrarem, não acharam o corpo do Senhor Jesus. Aconteceu que, perplexas a esse respeito, apareceram-lhes dois varões, com vestes resplandecentes. Estando elas possuídas de temor, baixando os olhos para o chão, eles lhe falaram: Por que buscais entre os mortos ao que vive? Ele não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos preveniu, estando ainda na Galiléia". (Luc. 24:1-6).

O evangelista Lucas, sendo historiador e atento aos detalhes, também não nos dá informação precisa de quando Jesus saiu do sepulcro. Somente confirma o relato dos outros evangelistas que Jesus já havia saído quando as mulheres chegaram.

EVANGELHO DE JOÃO:
"No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro, de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra estava revolvida. Então correu e foi ter com Simão Pedro e com o outro discípulo, a quem Jesus amava, e disse-lhes: Tiraram do sepulcro o Senhor, e não sabemos onde o puseram. Saiu, pois, Pedro e o outro discípulo e foram ao sepulcro. Ambos corriam juntos, mas o outro discípulo correu mais depressa do que Pedro e chegou primeiro ao sepulcro; Ele também viu os lençóis, e o lenço que estivera sobre a cabeça de Jesus, e que não estava com os lençóis, mas deixado num lugar a parte". (João 20:1-7).

Lemos os evangelistas, Marcos, Lucas e João, faltou, no entanto Mateus. Vamos lê-lo:

Veja o que revela Mateus:
"No findar do sábado, ao entrar o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. E eis que houve um grande terremoto; porque um anjo do Senhor desceu do céu, chegou-se, removeu a pedra e assentou-se sobre ela. O seu aspecto era como um relâmpago, e a sua veste alva como a neve. E os guardas tremeram espavoridos, e ficaram como se estivessem mortos. Mas o anjo, dirigindo-se às mulheres, disse: Não temais; porque sei que buscais Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui; ressuscitou, como havia dito. Vinde ver onde ele jazia." (Mateus 28:1-6).

Mateus é o único escritor do Evangelho que diz o tempo da ressurreição. Ele relata uma visita feita ao túmulo antes de começar o primeiro dia da semana: "No findar do sábado ao entrar o primeiro dia da semana..." Ele não diz quanto tempo antes de o dia seguinte começar, porém está definindo que foi à tarde, na última hora do sábado.

Aqui vemos a explicação porque Jesus Cristo não estava no sepúlcro quando foram visitá-lo pela manhã ou de madrugada, depois do sábado no começo do domingo. Mateus nos brinda com o detalhe do tempo da ressurreição com duas frases: "no fim do sábado" e "ao entrar o primeiro dia da semana". Lembremos que na economia judaica o sábado termina no pôr-do-sol. (Leia Lev. 23:32).

"O que significa Depois do Sábado":

As várias traduções da Bíblia em português traduzem Mateus 28:1 de modo variado. Por exemplo vemos o seguinte: "Depois do Sábado, ao entrar o primeiro dia da semana" (ERA), "E, no findar do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana..." (ERC), "Depois do Sábado, ao raiar do primeiro dia da semana..." (ECO), "Depois do Sábado, no domingo bem cedo..." (NTLH).

O termo “depois do sábado”, ou “amanhecer”, ou “ao raiar”, ou “no findar” em Mateus 28:1, não indica o tempo de saída do sol, mas o começar de um dia completo de 24 horas.

Mateus diz que era "No fim do sábado...", para o judeu o sábado termina no pôr-do-sol, portanto, neste caso, o termo usado, não significa o romper do sol porque o sol não se levanta senão 12 horas mais tarde. Não poderia ser o fim do sábado e a manhã de domingo ao mesmo tempo.

Em segundo lugar, a palavra aqui foi usada aqui como um verbo e não como um sujeito.

O termo amanhecer nesta passagem deriva-se da palavra grega "epiphosko". O "Greek and English Lexicon of the New Testament" de Parkhurst define: Aproximar-se, como o Sábado judeu, que começa na tarde".

A palavra "depois do sábado" ou "ao entrar" é um forte argumento contrário à idéia de uma ressurreição no domingo de manhã, já que Mateus nos diz que sucediam estas coisas enquanto estava aproximando-se o primeiro dia da semana e isto nos prova que o primeiro dia da semana estava começando. A ressurreição aconteceu entre o final do sábado e o início, ou começo do domingo, na parte entre o fim da tarde e o início da noite.

A mais antiga tradução que qualquer outro texto grego conhecido: The Sinaitic Palimpset, confirma as traduções citadas: "Na tarde do Sábado, quando o primeiro dia da semana amanhecia..."

Veja a tradução da King James Version de Mateus 28:1-7:

"Na tarde de sábado, quando estava escurecendo para o primeiro dia da semana, vieram Maria Madalena e a outra Maria para ver o sepulcro. E eis que houve um grande terremoto, porque um anjo do Senhor, vindo, tirou a pedra da porta e estava sentado sobre ela. E sua aparência era como de um relâmpago e seu vestido branco como a neve. E com temor dele, os guardas que cuidavam tremeram e estavam como mortos. Porém o anjo respondendo, disse as mulheres: Não temais porque sei que procurais a Jesus que foi crucificado. Não está aqui, porque ressuscitou, como disse. Vinde, vede o lugar onde foi posto o Senhor. E ide logo, dizei aos seus discípulos que já ressuscitou dos mortos". (Está confirmado com a "tradução interlinear do Novo Testamento Grego" por George Ricker Berry, Ph. D., Universidade de Chicago e Universidade Colgate, Departamento de Línguas Semíticas).

Se raciocinarmos por esse caminho, as coisas parecem ficar mais confusas ainda. Se isto que está relatado acima é certo, então Jesus Cristo ficou no túmulo, somente 24 horas, o que estaria completamente conflitante com o texto de Lucas 24: 21 que diz: "...é já este o terceiro dia desde que tais cousas sucederam".

Jesus Cristo disse que estaria três dias e três noites no túmulo. Visto que Ele ressuscitou no fim do sábado, começo do domingo, temos somente que contar para trás três dias para determinar quando Ele foi posto no túmulo.

CONTINUA NO PRÓXIMO ARTIGO...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…