Pular para o conteúdo principal

O Senado, a Traição e a Corrupção.



Por



Rev. João d'Eça





Não é porque o plenário do Senado Federal resolveu absolver o senador, que signifique que ele é inocente. Ele pode ser qualquer coisa, menos inocente. Ele foi inocentado pelo corporativismo irresponsável e vendido, dos seus pares aliados, e, só Deus sabe o que rolou por baixo dos panos, mais uma coisa é certa, inocente ele não é.


Ele não é inocente porque ele mesmo confessou a sua traição e indignidade. Ele mesmo declarou ter traido a sua mulher num relacionamento extra-conjugal com outra. Sim, ele não é inocente. Ele é culpado de ter quebrado os sagrados votos do matrimônio, culpado de ter traido a confiança de sua família, de sua esposa e de seus filhos, culpado de ter faltado com a palavra quando prometeu amar a sua esposa, honrá-la, respeitá-la. Culpado quando faltou com a palavra diante da lei (Juíz de paz e Cartório de Registro de casamento), quando faltou com a palavra diante do povo (testemunhas do casamento), quando faltou com a palavra diante de Deus (representado pelo sacerdote oficiante da cerimônia).


Um homem que falta com a palavra desse modo, não é digno de confiança. Alguém que trai a própria esposa (a quem prometeu amor eterno), os filhos, os amigos, os parentes dessa forma, é capaz de cometer qualquer outra indignidade em qualquer outra área da vida.


O senador não é íntegro, ele mesmo declacrou. Não é digno de um cargo de tamanha responsabilidade e dignidade, nem ele, nem os que o absolveram, nem os que o apoiam, pois relativizaram um absoluto.


Dignidade não diz respeito somente à profissão ou ao cargo, dignidade tem a ver com a vida toda. Um homem só é digno se o for por completo. Trair a esposa ou o marido é uma indignidade, confessar em público é uma declaração de incompetência e desonra.


Por tudo isso é que para mim, ele é culpado de tudo que o acusam. Se um homem que se diz inocente e justo é capaz de trair a mulher da sua mocidade e a sua própria família, ele é capaz de tudo. Tudo passa a ser relativo na sua mente. Ele trai a esposa, trai os filhos, trai os amigos, trai a Nação, trai a si mesmo.


"Os fins justificam os meios" (Maquiavel).



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…