Pular para o conteúdo principal

PRESBÍTERO DOMINGOS PÁDUA - CENTENÁRIO DE NASCIMENTO.

Se estivesse vivo, o presbítero Domingos Pádua (foto) completaria hoje, 22 de Novembro de 2010, 100 anos de idade. Ele nasceu no dia 22 de novembro de 1910, na cidade de Caxias - MA, berço de mutas personalidades destacaveis no âmbito da Igreja Presbiteriana do Maranhão.

O texto abaixo foi escrito por sua filha Nair, esposa do Rev. Altonildon Olímpio. Esse texto foi publicado no boletim dominical da Igreja Presbiteriana Central de São Luís, onde o presbítero Domingos Pádua exerceu o seu ministério por mais de 50 anos.

O texto também faz parte do livro que conta a história do presbiterianismo maranhense desde 1873 até 2010, escrito pelo Rev. João d'Eça, e que será lançado no dia 06 de junho de 2011, por ocasião do aniversário de 125 anos da IPB Central de São Luís.

"Nascido a 22 de novembro de 1910, na Cidade de Caxias- Maranhão. Perdeu os pais muito cedo, sendo criado pela irmã mais velha, Theodomira (Teté), juntamente com as irmãs Maria Borges e Corina. Havendo aceito o evangelho, foi batizado na Igreja Presbiteriana de São Luis em 27 de novembro de 1931. Tinha por inspiração a notável piedade familiar, desde os seus avós. Estudou até a quinta série, foi ourives, mecânico de autos, motorista do Ministério da Agricultura por 10 anos, estabelecendo-se por fim, em São Luis, como motorista empresário de transporte coletivo. Em 27 de janeiro de 1937, casou –se com uma jovem de 16 anos, Maria Pereira da Silva, que conhecera na I.P.B de São Luis, da qual nasceram- lhe 11 filhos (Nathan, Noemi (in memorian), Noádia, Nohá, Nogath, Nerias, Nairan (in memorian), Nair, Naimar, Noabi), os quais levava à igreja e ensinava a Palavra de Deus nos cultos domésticos.

Na Igreja Presbiteriana de São Luis, dedicou-se inteiramente ao serviço do “Altíssimo Deus” (expressão introdutória de suas orações). Seu apreço pela Palavra de Deus conferiu-lhe por 12 anos seguidos e tantos alternados, o exercício de professor da Classe dos Homens. Era um evangelista nato, auxiliava o seu pastor nas tardes de domingo pregando nas congregações de Cruzeiro, Caratatíua e Itaperuraíba (Anjo da Guarda), também participava do coral da Igreja. Exerceu o presbiterato por 52 anos, de forma exemplar, destacando-se pelo zelo doutrinário e firmeza na fé. Recebeu a emerência em 1976 sendo reconduzido ao exercício do presbiterato em 1986 não concluindo, porém, o seu último mandato.




Deixou-nos como legado o livro:“ História da Igreja Presbiteriana de São Luis”, editado no Centenário da Igreja (06/06/1986), fruto de 10 anos de pesquisa, expressão do seu grande amor por essa igreja. Concluído esse projeto descansou das suas labutas em 08/10/1986, deixando-nos o exemplo de uma vida íntegra, cheia do Espírito Santo e do temor de Deus.

Comentários

Anônimo disse…
100 ANOS DE SABEDORIA
Dudu,
Era assim que minha avó o chamava
Com amor sempre atento
Culto, sábio
Homem de fibra e respeitado
Temido por alguns (as vezes eu tinha medo... confesso)
Mas amado por todos
Se foi mas ficou, para sempre
No nosso sangue, nos nossos corações
Onze filhos, um livro
Um homem completo...
Se plantou uma árvore, talvez
Mas deixou a semente da sabedoria
Para que colhamos seus frutos
E nunca o esqueçamos
Sua vida, sua luta, sua fé
Vovô, parabéns!

Postagens mais visitadas deste blog

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…