Pular para o conteúdo principal

Falar em "línguas" é a evidência do Batismo com o Espírito Santo?

"[5] Ora estavam habitando em Jerusalém judeus, homens piedosos, vindos de todas as nações debaixo do céu. [6] Quando, pois, se fez ouvir aquela voz, afluiu a multidão, que se possuiu de perplexidade, porquanto cada um os ouvia falar na sua própria língua. [7] Estavam, pois, atônitos e se admiravam, dizendo: Vede! Não são, porventura, galileus todos esses que ai estão falando? [8] E como os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna? [9] Somos partos, medos, elamitas e os naturais da Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia. [10] da Frígia, da Panfília, do Egito e das regiões da Líbia, nas imediações de Cirene, e romanos que aqui residem, [11] tanto judeus como prosélitos, cretenses e arabios. Como os ouvimos falar em nossas próprias línguas as grandezas de Deus?"


O Texto acima é o relato inspirado do momento da descida do Espírito Santo, prometido por Jesus (João 14), sobre os que aguardavam essa promessa de revestimento espiritual para recebimento do poder para testemunhar. Este relato é um fato histórico e não um ensinamento doutrinário.

Esse fato, como aconteceu, jamais se repetiu novamente na história da Igreja, é um fato único e irrepetível, acompanhado de pelo menos 4 sinais, que são:

  1. Estavam reunidos, todos sentados, sem saber o que iria acontecer;

  2. De repente, inesperadamente, veio um som, como de uma ventania, dentro da casa;

  3. Apareceram sobre a cabeça de cada um "labaredas" de fogo, visivelmente;

  4. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em "outras línguas" (não "línguas estranhas"), mas "Glossolália" - Grego "heterais glõssais "línguas diversas" - (Idiomas Conhecidos).
Analisando o texto pelo próprio texto e de acordo com o seu contexto, podemos afirmar que o movimento moderno de "línguas estranhas" é realmente "estranho" à Bíblia, e uma falsificação do evento irrepetível acontecido durante as comemorações da época da festa do pentecostes em Jerusalém há dois mil anos atrás.

QUAL É O SIGNIFICADO DO EVENTO BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO?
  • Significa a presença e atuação do Espírito Santo dentro do crente (João 14: 17);
  • Não é uma demonstração apenas externa, é muito mais Interna, refletida externamente numa vida Santa do ponto de vista ético e moral;
  • Representa uma presença contínua e não somente esporádica (Antes da vinda do Espírito Santo a pessoa era cheia para um fim específico, depois ele se ausentava. Como um barco à vela que depende do enchimento do vento. Agora é como um barco a motor, que independente da força do vento para se locomover sobre as águas);
  • O objetivo desse enchimento espiritual é: Poder para propagar o evangelho de Jesus Cristo em todo o mundo; confrontar o mundo sem temor e ganhar almas. Inclui também a operação de milagres, mas isso é de responsabilidade exclusiva de Deus;
  • As línguas estrangeiras foi a antecipação da penetração do evangelho em todo o mundo e um contraste com o evento de Babel ONDE AS LÍNGUAS FORAM CONFUNDIDAS, aqui elas são ENTENDIDAS;
  • O milagre operado por Deus no evento do dia de Pentecostes, ajudou os apóstolos a comunicarem o evangelho a pelo menos 20 idiomas ali reunidos e aos ouvintes entenderem a mensagem do evangelho.
Nota: Notem que o milagre não foi falar somente (pois eles falaram idiomas que não conheciam previamente ou não haviam estudado), o maior milagre foi OUVIR, cada um na sua própria língua materna.


O TERMO "GLOSSA".

O termo em grego "glossa" (língua), geralmente, na Bíblia, refere-se ao órgão da fala e do gosto. No A.T. ocorre uma unica vez, em Isaias 5: 24, onde claramente refere-se a fogo mesmo. O fogo tem o poder de purificar, e na Bíblia, toda vez que a palavra fogo está presente, refere-se a purificação. João Batista disse que: "Ele (Jesus) vos batizará com o Espírito Santo e com fogo" (Mt. 3: 11).

O termo "glossa" portanto significa "IDIOMA" [1] conhecido e não uma "língua estranha", pois a palavra "estranha" referindo-se a língua, não tem base bíblica. Apenas uma tradução antiga traduziu assim o termo, porém, já não é mais traduzido assim, nas´Bíblias modernas.

O QUE É "FALAR EM LÍNGUAS" NA ATUALIDADE

O movimento de "falar em línguas" na atualidade, tomou uma conotação que beira ao ridículo. São frases desconexas, sem sentido, apelativa que não tem nada de espiritual. Pessoas inescrupulosas estão usando a suposta manifestação da atualidade para dominar sobre outros da seguinte forma: Eles dizem que o sinal visível do batismo com o Espírito Santo é o "falar em outras línguas 'estranhas'" (Na era apostólica era uma vida reta e santa, diante de Deus e dos homens). Como a manifestação é subjetiva, ou seja, a pessoa não tem como provar que está falando a verdade, do mesmo modo como eu não tenho como provar que ela está falseando ou mentindo, fica tudo no campo da subjetividade. Os que duvidam são tidos como incrédulos e descrentes, os que não experimentaram são estimulados a experimentar, os que não experimentam mesmo depois de estimulados são considerados crentes de 5ª categoria.

Para não serem discriminadas, as pessoas entram num estado de forte emoção durante o culto e acabam reproduzindo os "SIRICANTA" "ANDARRAI" "CANTARALABACHURIA", para poderem ser consideradas "espirituais", "cheias do poder", mesmo que na vida prática elas não reproduzam a espiritualidade e a santidade exigidas pela Bíblia, o que vale é a exterioridade da "experiência".

É claro que o Espírito Santo é Deus, é o Consolador enviado pelo Senhor para convecer o homem do pecado, da justiça e do juízo (João 16: 8-11). A Bíblia explica isso direitinho nesse texto. Porém, no Brasil, o Espírito Santo tornou-se um poder que as pessoas decidem a hora em que ele vem, marcam data para a sua atuação e até existem pessoas que cometem a estupidez de quererem controlá-lo. O pentecoste foi somente uma única vez, mas nessas igrejas há um novo pentecoste em todo culto.

Cremos que o Espírito Santo foi derramado uma única vez sobre toda carne. Ele veio para fazer morada na sua igreja. Ele veio para capacitar os cristãos a viverem para Cristo. Consolando-os e ensinando-os. Guiando os fiéis para Cristo. Aplicando a salvação nos corações daqueles que se arrependem de seus pecados. Recebemos os dons do Espírito Santo. Os dons que hoje operam na igreja não são os dons de línguas, de cura, de milagres e outros extraordinários. Mas, o dom da regeneração é o grande dom que acontece todos os dias. Todos os dias o Espírito regenera alguém pela pregação da palavra. Devemos também falar dos frutos do Espírito Santo na vida do crente. Não são dons extraordinários e fora do comum que habita na igreja. É a graça de Deus agindo neste mundo. É a graça de Deus transformando homens pecadores em novas criaturas. Essa é a obra do Espírito Santo. Ele está agindo neste mundo e na igreja. Mas, com essas línguas inventadas seu trabalho é esquecido pelas pessoas que se dizem evangélicas. Porque gostam de novidades. Mas, na obra do Espírito Santo não há novidade. É mesma obra desde quando foi derramado sobre toda carne.

Concluo dizendo que muitas pessoas querem ser mais do que simples homens e mulheres, querem ter um poder que não lhes cabe, que não lhes diz respeito. Não querem viver uma vida de santidade como ensina a Bíblia, porque dá muito trabalho, é necessário muito esforço para se entender a verdade de uma vida cristã rendida aos pés do Senhor. Experiências subjetivas são mais buscadas porque são mais fáceis de demonstrar publicamente, basta ser tomado por uma forte emoção e enrolar a língua ou mesmo "enrolar" os outros manifestando uma suposta manifestação espiritual.

Com temor e tremor diante de Deus poderia citar várias experiências de gente mentirosa nessa área. Nesses meus 31 anos de crente já ví de tudo. Gente que manifestava essas experiências fantásticas, mas que hoje estão perdidas no mundo, outras tornaram-se ateus até, outras se entregaram à licenciosidade e morreram nesse estado.

Como pode alguém experimentar algo tão maravilhoso e fantástico toda semana, ser supostamente possuído pelo poder do alto e depois não permanecer nos caminhos do Senhor. São bem poucos os que conheço que permanecem ainda hoje na igreja depois de 30 anos. Acho que de todos os que conhecí que manifestaram essas supostas "experiências espirituais", poderia contar nos dedos das mãos os que continuam na igreja.

É lamentável o que acontece em nossas igrejas hoje em dia. Acho que o que ocorre na igreja reflete o que vai no país inteiro, em todas as áreas.

DEUS TENHA MISERICÓRDIA DE NÓS!!!






[1] Léxico do Novo Testamento Grego/Português. Vida Nova. 1983.

Comentários

Sandoval disse…
Apesar de ter nascido no meio pentencostal adimito que o rev. tem toda a razão. A evidência de ser batizado no Espirito nunca foi o falar em linguas. Que pena que o movimento pentecostal ainda não se convenceu disso!

Postagens mais visitadas deste blog

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…