Pular para o conteúdo principal

O CATECISMO DE HEIDELBERG


Por


Rev. João d'Eça

O principe eleitor do Palatinado, Federico III o piedoso, nascido em 1515, recebeu a investidura do Palatinado em 1559 e morava em Heidelberg. Sua frase favorita era: "Senhor, seja segundo a Tua vontade". Esse era o lema da sua vida. Fiel partidário da Reforma, convicto da verdade do evangelho, queria instruir o seu povo dessa verdade, para isso contratou no ano de 1562, a dois catedráticos da Universidade de Heidelberg, para que eles escrevessem a doutrina do evangelho em um Catecismo.

Esses dois teólogos eram, Zacarias Ursino e Gaspar Oleviano. O Catecismo que eles produziram, logo, logo, conquistou grande reputação, de tal maneira que foi confirmado como Confissão Oficial da Igreja Reformada, porém, essa maravilhosa obra da teologia reformada, ganhou inimigos, dentre eles, o mpróprio Imperador alemão.

Em 1566, Federico foi convocado a comparecer à Dieta de Augsburgo, seus amigos e principalmente seu irmão, o aconselharam a não comparecer, pois desconfiavam que o imperador desejava decapitá-lo. Porém ele não se deixou intimidar e manteve sua fé com vigor e energia. Muitas acusações foram lidas contra Federico na dieta de Augsburgo. Após a leitura das acusações, ele pediu um tempo para meditar e passado o tempo, ele disse na presença do Imperador, sua memorável resposta:

"Eu afirmo a mesma convicção e as mesmas opiniões que tenho declarado claramente a Vossa Magestade Imperial, a saber: que não reconheço na minha consciência e na minha fé, mais que um único Senhor, que é o Senhor de todos os senhores e Rei de todos os reis, Jesus Cristo.

Não estou preocupado se cortarem ou não a minha cabeça, pois a minha salvação está em Cristo. Portanto, não posso conceder a Vossa Magestade Imperial o direito de mandar em minha consciência, somente Deus é o Senhor da minha consciência. Com relação ao meu Catecismo, o mantenho, pois o mesmo é a expressão das Sagradas Escrituras, que há de ser mantido firme com a ajuda de Deus.

CONTINUA....

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…