Pular para o conteúdo principal

A EDUCAÇÃO RELIGIOSA E SUAS IMPLICAÇÕES (Parte II).


Por
Rev. João d'Eça
Da última vez nós discorremos sobre a Educação Religiosa na Igreja, abordando a necessidade de atenção especial aos pequeninos, isso ningúem pode negar. Na verdade os pequeninos precisam de toda atenção e carinho por parte da igreja, e, eu penso que temos que preparar tudo para que eles sejam alcançados com a mensagem do evangelho de Jesus Cristo, justamente para que se cumpra a palavra de Salomão: "Ensina a criança no caminho em que ela deve andar, e ainda quando for velho, jamais se desviará dele" (Prov. 22: 6).
O que devemos fazer para que as crianças louvem a Deus, de modo que ela expresse toda a sua alma na adoração?
Primeiro, a criança precisa de estímulo. Ela precisa ser levada a entender qual é o verdadeiro sentido de cantar em louvor ao Todo-Poderoso. Haverá o dia exato em que todos nós estaremos cantando na presença dos anjos, diante de Deus, no Céu. Se a criança compreender isso, ela participará de modo mais significativo do louvor e experimentará uma alegria que o mundo não poderá substituir.
Concluiremos esse artigo, estabelecendo alguns critérios para que as pessoas que trabalaham com crianças na igreja, entendam a necessidade de preparo e dedicação nesse mister.
A Liderança do Dpto. Infantil.
Acima de tudo deve ser um crente fervoroso e com conhecimento da área em que está trabalhando. Ele deve ser um exemplo para as crianças, já que elas aprendem por imitação, é bom que elas vejam um bom exemplo de crente na vida do líder.
Não é preciso que seja exclusivamente uma mulher sempre. Há igrejas que desenvolvem um excelente trabalho, colocando homens com voz firme, bem timbrada, para deixar nas crianças a influência da figura do pai. Isso é muito importante, mas cuidados devem ser tomados, tanto para homens quanto para mulheres.
O Ambiente onde as crianças se reunem.
Deve ser o melhor possível, adequado, arejado, colorido, divertido e acolhedor. Devemos nos utilizar de pessoas preparadas e especialistas no assunto, para que curiosos de última hora não queiram que suas idéias sejam implementadas, muitas vezes em prejuizo do desenvolvimento do departamento infantil.
O Resultado prático de tudo isso.
Assim como pessoas antes de nós se preocuparam conosco, nós também devemos nos preocupar com as crainças ao nosso redor e lhes proporcionar a melhor maneira de se desenvolver na igreja. É preciso que entendamos que o desenvolvimento infantil passa por um planejamento sério e bem desenvolvido, não há lugar para improvisações, mas não podemos abrir mão da criatividade de última hora.
Porém se amamos à Deus de todo o coração e os seus pequeninos como a nós mesmsos, saibamos que o amor fará toda a diferença e ele nos conduzirá à perfeição.

Comentários

Kilmer disse…
Caro Reverendo,
Acho que necessariamente não "é preciso que entendamos que o desenvolvimento infantil passa por um planejamento sério e bem desenvolvido" , pois nós calvinistas supostamente cremos na Soberania de Deus e que o que vai acontecer a cada indivíduo ja esta determinado nos eternos decretos de Deus. A existencia ou não de planejamento ou da improvisação pouco, ou nada, afeta qualquer desenvolvimento no mundo. Creio que o ponto crucial a ser considerado é se Deus realmente está ou não no controle de todas as coisas. Fica claro que se precisamos elaborar "um planejamento sério e bem desenvolvido" é porque na verdade parte do controle está conosco. Creio que nós reformados precisamos assumir incondicionalmente o nosso calvinismo. Caso contrário qualquer crítica ao arminianismo dos outros, sem abrir mão da pretensa responsabilidade humana, é crítica leviana, ja que acabamos admitindo o nosso calvinismo tambem encharcado com o postulado arminiano. Mesmo que insistamos em culpar as Escrituras pela antinomia da nossa crença, não consigo aceitar que estamos autorizados a manifestar o desapreço ao arminianismo dos outros, a menos que assumamos o calvinismo com todas as suas implicações,isto é, com o controle absoluto de Deus.
Sei que o nosso calvinismo precisa ser antinômico para explicar melhor as mazelas do mundo, sem contudo nos paralizar diante da vida. Tenho que admitir que o arminiano coerente (o do teismo aberto)se resolve melhor que nós, que temos medo de assumir o calvinismo coerente (o do teismo fechado). O meu comentário pouco vai mudar a nossa tradição teológica, que simplistamente responde: "não sei porque é assim, mas é assim", pois, como ja disse, precisamos ver o mundo com as lentes do calvinismo híbrido para continuar respondendo de forma fácil os processos da vida, afinal de contas, talvez para o nosso conforto, os crentes reformados pouco estão ligando para Soberania de Deus, que nós estudiosos da teologia reformada não temos conseguido explicar de forma coerente, e quando a coisa aperta esses crentes, muitos com cadeiras cativas nas nossas congregações, preferem fazer a campanha sacrificial do RR Soares, que promete que se eles assumirem o sacrifício Deus então muda as suas predestinações. Pensando bem, se dá para levar assim e o incomodo é só meu, é melhor manter a acomodação com "um planejamento sério e bem desenvolvido", mesmo que o preço a ser pago seja o da abdicação do verdadeiro calvinismo.

Um abraço,
Kilmer
Anônimo disse…
Sr. Kilmer, você está equivocado. Parece que você é hiper-calvinista e o seu hiper-calvinismo poderá se transformar em calvinismo nenhum.

Tome cuidado! O artigo fala de planejamento e organização para se receber as crianças, qualquer criança e dar a elas a devida atenção, independente de salvação ou não. Isso é com Deus.

Rev. Roberto Nunes

Postagens mais visitadas deste blog

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…