Pular para o conteúdo principal

PENSANDO SOBRE O MINISTÉRIO

By

 

Rev. João d’Eça

 
Introdução:

Quando o Evangelho de Jesus Cristo inunda a nossa mente e o nosso coração, traz a nós uma alegria nunca antes experimentada por nós. Quando jovens, cheios de esperança e de vigor, a ideia de conduzir pecadores à cruz de Cristo invade a nossa existência e faz brotar em nossos corações a pureza de uma ideia iluminada, o sagrado ministério.

Não há no mundo nada mais importante ou desejável do que ser instrumento nas mãos do Senhor para atrair pecadores a Jesus Cristo, arrancando-os da sua escravidão espiritual. Não há atividade mais nobre do que ser o condutor de um povo santo, através das trilhas de uma vida cristã. Não há nada mais bonito do que ver um jovem se lançar aos pés de Cristo e se apresentar para somar no mesmo caminho que percorreram os profetas e os apóstolos do Senhor, abrindo mão de uma carreira secular, afim de colher os frutos da fé, mesmo em meio a espinhos e dores.

Abraçar o ministério é cooperar com Deus, esse é um privilégio especial. Nossa vida de auxílio na obra do Senhor deve ser revestida de piedade, nosso lar deve ser o santuário do Espírito onde as reclamações do mundo não reverberam, nosso caráter deve refletir o caráter de Jesus Cristo que se mostra em nossas almas, santo e imaculado; onde os nossos pensamentos e as nossas condutas serão uma antecipação do Céu.

No ministério aprendemos que não somos o que talvez pensássemos que fossemos, aprendemos que somos absolutamente imprestáveis e absolutamente dependentes do Senhor. Nossos ideais iniciais vão se tornando difíceis de serem realizados e em cada passo dado, vemos um obstáculo imerso, que bem poderia nos fazer tropeçar, nos fazer fracassar e abalara nossa fé.

Seja cauteloso

Cautela é necessária. Jesus disse: “... Sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas.” (Mt. 10.16). Será que o Senhor na sua volta me reprovará pelos “talentos” que eu lhe apresentar? Será que eu não o escondi e fiquei acomodado?

Agora é hora de prosseguir, de dar mais um passo à frente, “esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da Soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. (Fl. 3. 13, 14).

Enfrentaremos inúmeras tentações nessa carreira de aspirações grandiosas, tendo um enorme campo de trabalho à nossa frente, até que estejamos prontos, com o caráter aperfeiçoado, com a imaginação equilibrada usando-a para a meditação nos problemas da fé. O Senhor exige de nós que estejamos em perfeito equilíbrio de nossas faculdades mentais. Às vezes abandonamos a causa de Cristo pelo envolvimento com as coisas terrenas de nossas preferências. Gastamos tempo precioso imaginando coisas vãs e perdemos o nosso tempo de comunhão com o Senhor porque não nos dedicamos com mais dedicação à oração.

Trabalhemos pelo Evangelho

Os ossos secos que jazem na terra do Brasil estão à espera da palavra profética em nossa boca para que eles revivam em um exercito de almas para a glória de Deus. Assim como Jesus Cristo tinha por objetivo fazer a vontade do Senhor e como Paulo que dizia que nada sabia, a não ser de Cristo crucificado, nós, engajados no ministério pastoral, temos de nos desvencilhar de tudo que pode ser um atrapalho para o nosso ministério, “olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus...” (Hb. 12.2).

Conclusão:

Ainda que você sinta que a atração mundana ainda te tenta, que abandonar a carreira seja uma opção, que a dúvida ameaça a tua alma, ore com fervor a Deus e peça a ele para um desejo mais consagrado a Jesus Cristo, para que você viva mais perto da cruz, que o reino de Deus seja a constante preocupação da tua mente. Não vacile diante das responsabilidades do ministério.

Muitos já estão com os seus ministérios falidos, não vivem mais pelos princípios da Sagrada Escritura. Sem Deus no comando de nossas vidas e ministério, nada poderemos fazer.

Que o Espírito Santo, consolador, conforte a nossa alma e nos dirija o caminho.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…