Pular para o conteúdo principal

31 DE OUTUBRO – DIA DA REFORMA – PARTE I

31 DE OUTUBRO – DIA DA REFORMA – PARTE I

By

Rev. João d’Eça

Martinho Lutero nasceu na cidade de Eisleben, na Alemanha, a 10 de fevereiro de 1483 e morreu a 18 de fevereiro de 1546. Tornou-se frade agostiniano. Leu com vigor as Escrituras Sagradas. Numa de suas leituras em latim, encontrou em uma bíblia que costumava ler na biblioteca do convento de Erfurt, a luz que procurava para a sua alma combalida e cansada pelo peso do pecado e da incerteza que o corroía pela dúvida que tinha se Deus perdoaria os seus pecados pelos sacrifícios que ele costumava fazer para aplacar a ira divina. A luz que irradiou na sua vida foi o texto de Romanos 1:17: “... o justo viverá por fé.”

Iluminado pela luz da Palavra de Deus, inicialmente Lutero pregou contra as “indulgências”[1]. As pessoas na Idade Média tinham pavor da morte e do Inferno, nada sabiam acerca da fé verdadeira, desconhecendo por completo os princípios e valores relativos ao reino de Deus. A igreja católica negava ao povo esse conhecimento, e o que lhes dava era figuras medonhas e um retrato de um Deus vingativo e que punia com a morte e o inferno, a todos que não doassem à igreja os seus recursos e as suas propriedades.

Como as pessoas tinham pavor do inferno, a igreja então dizia que os que trouxessem ofertas aos seus cofres, teriam os seus pecados imediatamente perdoados e se a oferta fosse maior, os pecados dos seus entes queridos já mortos, também seriam perdoados e as suas almas sairiam do “purgatório”.

Como na Idade Média, as pessoas hoje em dia vivem com medo da solidão, da pobreza e da doença. Do modo como fez a igreja católica na Idade Média, assim essas igrejas de hoje, como Universal, Poder de Deus, Igreja da Graça, Igreja Renascer, Sara Nossa Terra e todas as neo-pentecostais, fazem o mesmo, dizendo que se as pessoas vierem e ofertarem para essas igrejas, elas terão todos os seus problemas resolvidos (Fé Tabajara): Volta do marido ou da esposa, se não tinham encontrarão o cônjuge ideal e serão livres de doenças e ainda prosperarão financeiramente. Quando a pessoa não alcança o prometido, a desculpa que eles dão é: “Ou você não tem fé”, dai começa outra campanha, com mais fé, ou “você está em pecado.”

Na Idade Média, a culpa era da igreja católica que além de negar o conhecimento ao povo, ainda os enganava com promessas mentirosas. Hoje em dia isso é feito por 99% das igrejas neo-pentecostais, e a culpa não é mais das igrejas, mas das pessoas, que não procuram estudar o assunto da fé e da religiosidade com sinceridade. Gastam a vida e a saúde em busca de diversão, distração e baladas, porém, quando sofrem as consequências na saúde, nos relacionamentos ou nas finanças, tendem a procurar os charlatães das igrejas mencionadas acima e ai são ludibriadas, por sua própria culpa.

Lutero aprofundou-se nos estudos da Escritura Sagrada e nos clássicos da literatura da antiguidade cristã, foi demonstrando com grande eloquência e erudição que também: o papado, o purgatório, o celibato clerical, a transubstanciação, as imagens, a confissão auricular, etc, eram inovações humanas do romanismo, abusos introduzidos paulatinamente na igreja.

Lutero traduziu a Bíblia em linguagem popular e foi o responsável da volta que o cristianismo deu às suas origens primitiva. Levantou um protesto eficaz contra os acréscimos do romanismo ao cristianismo, ou aquilo que ele denominou “apostasia ultramontana”.

O número de adesões na Europa só crescia mais e mais, cresceu e avassalou o mundo todo, tornando a Reforma, o segundo momento mais importante da história do cristianismo, sendo o primeiro, a Encarnação do Verbo, ou nascimento de Jesus Cristo. Lutero não foi o criador de uma nova religião, foi somente o homem usado por Deus para trazer o cristianismo às suas origens primitivas. Ele foi somente um pregador do Evangelho.



[1] Indulgências eram títulos de propriedade do céu, onde quem ofertasse para a construção da Catedral de São Pedro em Roma, teria todos os seus pecados passados, presentes e futuros, perdoados. O responsável pelo recolhimento dessas ofertas nas cidades alemães era o frade Yohann Tetzel que tinha um incentivo para fazer as pessoas ofertar. Ele dizia: “Quando a moeda tilintar no fundo do cofre, mas uma alma sai do purgatório e voa para o céu.”

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…