Pular para o conteúdo principal

QUAL A TUA MOTIVAÇÃO?

Se você ficar na porta de um templo religioso e perguntar às pessoas que adentram o local, por que você veio aqui hoje? Qual é o seu objetivo aqui? Com certeza você ouvirá algumas das seguintes respostas:

- Eu vim aqui em busca de uma benção. Meu marido me deixou!
- Eu vim aqui pedir oração pelo meu filho que está envolvido com gente ruim!
- Eu vim aqui em busca de uma porta de emprego!
- Eu vim aqui porque estava pensando em suicídio, por não ter nada que me preencha!
- Eu vim aqui em busca de uma esposa(o) crente!

Você não ouvirá de alguém, que ele está ali, por causa de uma necessidade espiritual, ou seja, a pessoa parou, refletiu e viu que a sua vida estava errada e que precisava sentir-se perdoada dos seus pecados e por isso foi em busca de Deus e do seu perdão. Seu objetivo principal é resolver o problema do seu pecado.

Jesus Cristo em João 6: 22-27 diz: “..vós me procurais, não porque vistes sinais, mas porque comestes dos pães e vos fartastes.”

Assim como no tempo de Jesus, a motivação dos crentes hodiernos é a satisfação pessoal. Deus tornou-se um deus de algibeira, onde a pessoa se serve apenas para resolver as suas necessidades materiais, sem se preocupar com a sua real condição de pecador perdido.

Jesus continua dizendo (João 6: 27): “Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que subsiste para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque Deus o Pai, o confirmou com o seu selo

As pessoas, no início da segunda década do século XXI no Brasil, motivadas por tele-vangelistas, adoradores de Mamom, como Edir, Valdemiro, Silas, Soares, Linhares, Alencar e tantos outros, cujo objetivo, claramente é se locupletar, onde seus negócios, com rótulo de igrejas evangélicas, altamente rentáveis, estão atraindo pessoas imaturas, não bobas, mas interesseiras, que querem as “bênçãos de Deus, mas nada querem com o Deus da bênção”.

O Evangelho no Brasil tem sido enxovalhado, por causa de gente desse naipe, que não crêem em Deus e no seu Filho Jesus Cristo, mas usam o seu nome para atrair pessoas a doarem para a sua causa pessoal. Henfil disse: “Não dou um centavo por uma pessoa que lucra com as suas próprias causas”.

A busca por soluções mágicas para os problemas da vida, está no centro da mentalidade cultural brasileira, com a miscigenação religiosa, que produziu no país uma religiosidade pagã com cara de cristã. O povo do Brasil, ainda mantêm a mentalidade católico-romana, misturada com elementos da religião pagã afro-brasileira e conseguiu produzir também, uma religiosidade supersticiosa que tenta misturar símbolos judaicos com conceitos bíblicos-cristãos.

Algum tempo atrás víamos as igrejas ostentando candelabros, bandeiras de Israel, tocando “chofar”. Líderes que organizavam caravanas a Israel para levar o povo a batizar-se no rio Jordão, como se esse rio tivesse alguma propriedade mágica.

Hoje, por exemplo, a IURD mantêm a sua liturgia com elementos essencialmente espíritas: sal grosso, fogueira santa, água benta do Jordão, terra da Terra Santa, óleo santo de Israel. “A igreja do poder de deus” do Valdomiro, vende martelinhos de metal por R$ 50,00 para as pessoas “quebrarem a maldição” do seu caminho. “Chaves” que abrem todas as portas trancadas. “Toalha milagrosa” que resolve todos os problemas, sem falar na “meia santa”, que aqueles que as calçam, são curados de todas as enfermidades. Tudo isso para pagar os jatinhos particulares nos quais eles andam pelo Brasil inteiro, administrando o seu negócio com nome de “Igreja”.

Jesus Cristo diz em Mateus 7: 21 e 22: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhe direi explicitamente: nunca vos vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUALIDADES DE UM BOM DESPENSEIRO.

Por Rev. João d'Eça Sermão pregado na Igreja Presbiteriana Monte Moriah, São Luís, MA, dia 14/01/2007 As qualidades de um bom despenseiro. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus". (I Pedro 4: 10). Introdução: O termo despenseiro tem o significado de alguém que cuida da despensa, ou seja, é o local da casa onde se guarda os alimentos e os outros mantimentos, nesse caso, despenseiro é o que toma de conta de toda a despensa, é uma espécie de Mordomo. No caso do texto básico da mensagem, despenseiro é aquele que administra os dons da multiforme graça de Deus, de maneira que pessa abençoar a si mesmo e ao seu próximo. * Muitas pessoas pensam que todas as coisas são sua propriedade. * A Bíblia nos ensina diferente, pois diz: "Do Senhor é a Terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam." ( Salmos 24:1). O profeta Ageu diz também: "O ouro e a prata são seus." * O…

DICIONÁRIO "MARANHENSE" !!!

Por



Rev. João d'EçaJoão do Vale, nosso poeta popular, em uma de suas canções diz: "minha terra tem belezas que em versos não sei dizer; mesmo porque não tem graça, só se vendo pode crer..."As coisas do Maranhão são espetaculares, sua natureza é exuberante, suas cidades são magnificas e sua Capital é encantadora. Eu amo minha cidade de paixão.Há muita coisa que não gosto em São Luís, não tem nada a ver com a natureza ou com a sua história, mas tem a ver com algumas pessoas que tiram a paz de outras pessoas, sem respeitar os seus direitos, mas isso é outra história...Quero lhes apresentar algumas palavras do vocabulário popular maranhense (está bastante incompleto, mas já é alguma coisa, desafio os leitores a me escreverem e me ensinarem novas palavras desse nosso rico "dicionário popular maranhense").Recebi de um amigo, numa lista de E-mails, essa lista que lhes apresento abaixo, achei muito divertido e interessante, fiz algumas adaptações e publico aqui e agora…

"LANÇA O TEU SOBRE AS ÁGUAS" - Eclesiastes 11: 1

PorRev. João d'EçaO texto diz: "Lança o teu pãp sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás"O que será que as Escrituras Sagradas estão nos ensinando aqui?A palavra "pão" sempre foi figura daquilo que ganhamos no dia-a-dia. As pessoas nos indagam: - "Você está indo pra onde?"- Vou ganhar o pão de cada dia (trabalho).Os estudiosos do AT, nos dizem que aqui há duas figuras:1ª Figura: AS CHEIAS DO RIO NILO - Eles jogavam as sementes quando a enchente estava baixando, no final da baixa, as sementes do trigo e da cevada, floresciam.2ª Figura: O COMERCIANTE - O comerciante pegava o seu barco, carregava com os bens que havia produzido e sai para comercializar em outras terras. "Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás".No versículos 2, o escritor sagrado nos dá uma lição preciosa, ele nos diz que devemos diversificar a nossa aplicação, porque não sabemos o que ácontecerá amanhã.Como servos dos Deus vivo, o S…